novembro 01, 2012

De quanta cor há o que vejo?




De quantas estradas precisam meus olhos até o limite?
O que alcançam por sobre a imagem,
no verso dos objetos, a mexer nos vermelhos,
a tocar levemente os amarelos e cinzas da tarde?
Essas bolas curiosas, o que dirão, depois, já sem luz,
sobre como é fundo o leito das cores,
sobre como é vão o fio que desenha o sentido do dia?

Com o cair da nitidez, com a chegada das sensações de ocaso,
quando, de cansaço, ruírem os contrastes,
que cores dirão o restante da estrada?
De quantos amores serão as fotografias?
Que tonalidade restará no verde?
Que porta haverá no laranja?
De quantos azuis será o silêncio?

Ricardo Fabião (novembro, 2012)


Imagem captada, por mim, de um certo jardim, em Garanhuns-PE.

5 comentários:

  1. Muitíssimas cores,
    e bem vivas!!!

    Gostei daqui!

    ResponderExcluir
  2. Agradeço a visita, R. Vieira. Seja bem-vinda ao blog. Quanto às cores, que não me faltem sentidos para captá-las.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Ricardo, as cores dão infinitas possibilidades!!

    Eita monte de palavra bonita,
    Poeta tu nasceu pra escrever,
    Como tu, eu queria saber fazer,
    O que tu faz com as palavras na escrita.
    Cada verso do papel chega levita,
    Com a grandeza do seu conhecimento,
    As letras são balas do ensinamento,
    Que não fere, emociona em quem descarrega.
    Todo poeta carrega,
    Um fardo de sentimento!

    Léo Brasil 19 nov 2012

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ricardo!
    Seu poema me fez pensar em um arco-iris cintilando numa tarde de sol e chuva. Também me fez pensar nas cores da minha vida. Ás vezes, amenas e tranquilas, outras mais escuras revelando fortes emoções, mas todas igualmente importantes e plenas. Um final de semana cheio de cores divinas para você!
    abração!
    Regina

    ResponderExcluir
  5. Meu querido amigo Ricardo,
    Sou sua mais nova amiga virtual, prazer!
    Sua alma de poeta cativou meu coração que vagueia pelos versos insanos...
    Me tornei sua seguidora.
    Seu blog é divino!
    Parabéns!
    Beijos salpicados de estrelas e miosótis,
    Martha
    me visite:
    http://ternuraantiga.blogspot.com.br
    terei muito prazer em receber vc!
    Ou tente assim: coloque na busca do Google:
    blog ternura antiga de Martha Marquez e depois me conte, ok?

    ResponderExcluir

Direitos reservados