abril 25, 2010

O primeiro desenho



O céu é de tão alto para muito mais
O sol é de tão intenso para mais luz
O céu gasta vãos com aviões e fumaça
O sol brinca de apagando e acendendo
O céu apanhou todos os azuis para ser
O sol engoliu luminárias e ficou aceso
O céu é pai das nuvens e das distâncias
O sol alimenta as manhãs e as estradas
O céu tem as paredes e os corredores
O sol está no abajur em cima do alto
O céu vai a todo lugar sem mexer o pé
O sol aquece tudo cá sem adormecer

O céu sobrevoa os desenhos do mundo
O sol vai mais baixo para pintar os dias
O céu gasta todo tempo sendo um vazio
O sol junta tudo e transforma em cores
O céu é de subir cada vez mais assim
O sol é de descer para encontrar chão
O céu tem tanta idade que nunca anda
O sol só vale o tempo de sua claridade
O céu não faz por esperar que aconteça
O sol descreve compromissos e horários
O céu é um arco por cima das cabeças
O sol é um fogo por dentro de tudo

O céu só há por haver sol
O sol por vagar nesse céu
O céu vai mais fora que as estrelas
O sol vem mais dentro que as células
Céu que por fora corpo
Sol que por dentro alma

Ricardo Fabião (Abril - 2010)

8 comentários:

  1. Ricardo, assim traças, em curvas sinuosas e acentuadas, um duelo de gigantes, entre céu e sol.

    Um camaria, lago sereno... O outro incandescente, fogo que arde...

    Olha que as vezes derrapo nessas curvas...rs

    Beijos meus!

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo, Ricardo!
    Adorei seu poema que não pára de dançar...
    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Belo blog professor!
    Não há como dizer qual o melhor ou mais bonito não é? Céu, sol, duas belezas giganteeeescas conseguindo se encaixar no mesmo espaço.

    beijo

    ResponderExcluir
  4. Ricardo,

    meu caro amigo no ofício da escrita.

    Venho lhe dar os parabéns pelo seu poema, bem como pelo seu blog e pelas postagens no "Diálogos".

    Postei, conforme sugestão sua, os comentários dos amigos. Veja lá no "Diálogos".

    Maravilha!

    Esteja sempre presente.

    Grande beijo.

    ResponderExcluir
  5. Agradeço a visita de tão nobres artistas.

    Ava, você sabe que sou apaixonado pelo seu blog... pena não ter mais tempo para visitá-la constantemente.

    Zélia, estive 'passeando em seu "Ad litteram" e fiquei impressionado com o seu estilo... vou passar a te seguir também. Adorei seu espaço.

    Sarah, ex-aluna e excelente atriz. Tem muito talento a ser desenvolvido; o principal requisito você tem: gosto pela leitura.

    Quanto a você, Ianê, devo, entre muitas coisas, o fato de ser 'a ponte' que me levou a um mundo de poetas e artistas.

    Voltem sempre.

    Beijos.
    Ricardo.

    ResponderExcluir
  6. Gostei do seu blog, meu caro, tenho gostado e estarei tornando para gostá-lo inda mais. Vi que tem prosa também. Muito bacana.
    Abraço,
    Rodrigo
    www.rodrigoepoesia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Meu caro, venho novamente postar um comentário, ousando ser redundante e impertinente, já que já afirmei apreciar seu blog, somente para dizer que aquele seu poema "Esconderijo" é deveras cativante. Não diminuo os outros, apenas digo que este me causou sensações extras, por assim dizer.
    Abraço,

    ResponderExcluir
  8. Um está contido; o outro, contém. Assim, sem nenhuma necessidade hierárquica, vão tocando a vida...fazendo viver os que deles nascem.
    Grande, Ricardo.
    Um abraço, amigo!

    ResponderExcluir