julho 19, 2009

Caminhos (poema)



Palavras nem sempre explicam o que escrevem
às vezes lemos uma para decifrarmos outra
há sim que diz que não,
partir que mais chegar indica,
caminho dividido em quase trilha
cada qual palavra lume diferente
guiando leitores além do olhar

Palavras nem sempre são palavras
às vezes são armadilhas,
buracos enormes,
são homens, crianças, cidades inteiras...
quem tiver uma palavra
entenda o rumo de seus trajes,
contemple suas nuances,
deixe-a respirar,
estar uma coisa e outra,
de morrer e de renascer
no mesmo sendo.

(Abril, 2009)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direitos reservados